Notícia 063

ACSO é o grupo de pesquisa brasileiro com maior representatividade na RoboCup Federation

A RoboCup Federation (RCF) é uma sociedade científica internacional que tem por objetivo promover a pesquisa científica em Inteligência Artificial (IA) e Robótica. Isto é feito apresentando desafios que sejam ao mesmo tempo atraentes ao público e cientificamente inovadores.

Uma das formas mais eficazes para promover a investigação em ciências e engenharia é o estabelecimento de metas desafiadoras de longo prazo. Construir um robô que joga futebol não vai por si só gerar impacto social e econômico significativo, mas a sua realização, certamente, será considerada uma grande conquista para a área. Nós chamamos este tipo de projeto de projeto-marco. A RoboCup é um projeto-marco, bem como um problema padrão para a área de Robótica Inteligente.

Resultado de esforços de vários grupos independentes em várias partes do mundo, a RCF foi fundada em 1996 e organizou a primeira competição científica internacional em 1997 em Nagoya, Japão. Desde então, a RCF globalizou-se e atingiu todos os continentes. Anualmente o evento RoboCup - conhecido como Copa do Mundo dos Robôs - é realizado de forma itinerante percorrendo todas as partes do planeta levando os avanços das pesquisas em robótica e IA a todos os cantos.


Prof. Marco Simões é o único brasileiro nos Comitês Executivos da RoboCup.

Para organizar esta mega estrutura e garantir que as metas de longo prazo continuem sendo perseguidas de forma objetiva, a RCF possui uma estrutura formada por pesquisadores e estudantes voluntários que garantem a evolução e progresso contínuos da RoboCup. O quadro de trustees é a autoridade máxima na RoboCup. É um conselho formado por pesquisadores com contribuições e atuação reconhecidos perante a comunidade de robótica e inteligência artificial, em especial, para a comunidade RoboCup. Dentre os trustees são eleitos o presidente e vice-presidente da RCF para mandatos de três anos.

As competições RoboCup são divididas em ligas que representam os desafios. Atualmente os desafios são: futebol de robôs, resgate de vítimas, robôs de serviço. Cada desafio possui uma ou mais ligas que delimitam escopos específicos dentro do problema maior. Cada liga possui um comitê executivo (CE) que é responsável pelos objetivos de longo prazo de cada liga e sua relação com os objetivos globais da RoboCup. Os membros do CE são eleitos pelos trustees para mandatos de três anos. São escolhidos a partir das equipes que disputam regularmente as competições com resultados destacados e comprometimento explícito com os objetivos da RoboCup.


Prof. Josemar Rodrigues de Souza integra o comitê técnico da RoboCup@Home.

Os membros do CE integram automaticamente o comitê técnico(CT) da liga. Os CTs são responsáveis por definir os aspectos técnicos de cada liga no curto prazo, garantindo que a liga continue dentro dos rumos planejados pelo CE. Parte do CT é eleita pelos times que participam da liga a cada ano e outra parte é indicada pelos trustees e CE.

Por fim cada liga tem um comitê organizador(CO) que é responsável pela organização da próxima edição da competição mundial naquela liga. Os membros do CO são nomeados pelos trustees e CE.

Presença do ACSO na RCF

A participação nesta estrutura descrita da RCF depende fortemente da credibilidade e dos méritos científicos dos pesquisadores e grupos de pesquisa envolvidos na RoboCup.


A estudante Camila Laranjeira integra o comitê técnico da Liga de Simulação do Futebol de Robôs.

Atualmente, o ACSO é o grupo de pesquisa brasileiro que possui maior representatividade na estrutura da RCF:

Atualmente o prof. Marco Simões é o único brasileiro a integrar um dos comitês executivos da RoboCup Federation. O ACSO é também o grupo de pesquisa brasileiro com maior representatividade nos comitês técnico e organizador da RCF.


O estudante Fagner Pimentel integra o comitê organizador da RoboCup@Home.

As eleições e indicações dos membros do ACSO para estas posições é consequência direta dos resultados científicos apresentados pelo grupo ao longo dos anos. Desde 2007, quando iniciou sua participação na RoboCup com sua equipe BahiaRT, o ACSO acumula conquistas e resultados relevantes. A comunidade científica internacional reconhece estes resultados confiando nos pesquisadores do ACSO para ajudar a definir os rumos que as pesquisas em robótica e inteligência artificial irão tomar no curto e longo prazo.

Para maiores informações sobre o BahiaRT visite sua página oficial.