Notícia 008

ACSO presente no Simpósio Internacional Arqueologia Marítima nas Américas.

"O patrimônio arqueológico subaquático no Brasil, devido a seu histórico de busca aventureira e pouco científica, recebe enquadramento legal/conceitual diferente do patrimônio arqueológico emerso. Não apenas por causa deste fato, mas, este já seria bastante para justificar a importância de que seja realizado o Simpósio Internacional que ora propomos na cidade de Itaparica, onde serão discutidos vários aspectos do patrimônio arqueológico, histórico e etnográfico subaquático, insular, costeiro e portuário. O evento, que ocorrerá entre nos dias 24 a 26 de outubro, terá em sua continuidade a realização da Reunião Anual do Comitê Internacional para o Patrimônio Cultural Subaquático, do Conselho Internacional de Monumentos e Sítios (ICUCH / ICOMOS) nos dias 27 e 28 no mesmo local."
Fonte: http://www.mbts_insitu.mae.ufba.br/

Nesse evento, no dia 26/10/2007, das 08:00 às 10:00 horas na Mesa Redonda "MR 08 – Museu InSitu da Baía de Todos os Santos", mostraremos nossa experiência no campo da realidade virtual, realidade aumentada, hiper-realidade (recursos expositivos multimídia), robôs “inteligentes” e como apoiaremos o ARCHEMAR- Centro de Pesquisa e Referência em Arqueologia e Etnografia do Mar e o Museu InSitu da Baía de Todos os Santos.

Resumo da apresentação

Realidade virtual, realidade aumentada e hiper-realidade: uso de recursos expositivos multimídia em exposições - Professor Dr. Josemar Rodrigues de Souza (ACSO/UNEB) & Utilização de robôs “inteligentes” para captação de imagens e manipulação de objetos a serem utilizados em hiper-realidade - Professor MSc. ATC Dr. Marco Antônio Costa Simões (ACSO/UNEB).

O Núcleo de Arquitetura de Computadores e Sistemas Operacionais – ACSO da Universidade do Estado da Bahia – UNEB, apoiará o ARCHEMAR e o Museu InSitu da Baía de Todos os Santos, nas atividades de virtualização, através da inserção da técnica de realidade aumentada. A utilização desta técnica, neste contexto, tem como objetivo principal atrair/aproximar os diversos segmentos da sociedade, sejam eles espectadores ou pesquisadores, a esse mundo fantástico que é a arqueologia subaquática e em especial esse “mundo” que está sob a Baia de Todos os Santos.

A realidade aumentada mistura objetos virtuais com o cenário real, produzindo um ambiente único que se sobrepõe ao ambiente real às vistas do espectador/pesquisador, facilitando a análise e a interação com esse mundo imaginário/real, explorando os aspectos cognitivos e facilitando sobremaneira a compreensão da informação coletada e transmitida por pesquisadores de áreas específicas, neste caso o arqueólogo subaquático.

Dado as condições às vezes adversas para que o arqueólogo desenvolva suas atividades de arquelogia subaquática, far-se-á necessário algumas vezes a utilização de robôs para captar imagens e manipular objetos a serem utilizados em hiper-realidade.