Notícia 041

Pesquisadores do ACSO são escolhidos para a compor comitês executivos da RoboCup Brasil.

Durante a Competição Latino Americana de Robótica - 17 a 21 de outubro de 2012 em Fortaleza, Ceará - aconteceu a reunião plenária da RoboCup Brasil.

A RoboCup Brasil é o comitê que representa os pesquisadores brasileiros junto à RoboCup Federation - entidade internacional que organiza as competições mundiais e a inciativa RoboCup.

A RoboCup Brasil também é responsável pela organização da competição mundial RoboCup 2014 que será sediada no Brasil, pela primeira vez realizada no hemisfério sul do planeta.

Durante a reunião, a professora Esther Colombini (ITA-SP) foi reeleita presidente da RoboCup Brasil e informou a necessidade de estruturar a entidade brasileira de forma análoga à RoboCup Federation. Para isto foi eleito um conselho de trustees responsável por garantir a organização anual das competições brasileiras de robótica bem como fomentar a expansão das mesmas para englobar todas as categorias disputadas no evento mundial. O conselho de trustees é o colegiado responsável por todas as principais decisões acerca da realização das competições brasileiras de robótica.

Eleito o conselho de trustees este indicou os membros para os comitês executivos de cada categoria de competição RoboCup disputada no Brasil e também para aquelas que deseja-se vir a disputar.

Pesquisadores do ACSO/Uneb indicados

O professor Josemar Souza foi indicado para compor os comitês executivos da categoria Futebol de Robôs Simulado 3D e RoboCup@Home.

O professor Marco Simões foi indicado para compor o comitê executivo da categoria Futebol de Robôs Simulado 3D. Também foi confirmado como membro do comitê organizador local da competição mundial RoboCup 2014 que acontecerá em João Pessoa-PB.

O professor Diego Frias foi indicado para compor o comitê executivo da categoria Standard Platform League(SPL).

Estas indicações colocam a Uneb no centro de importantes decisões da pesquisa científica e desenvolvimento da robótica brasileira, agindo como fomentadora e disseminadora do conhecimento na área.

As Categorias

A categoria Futebol de Robôs Simulado 3D está alinhada com o principal desafio proposto pela RoboCup Federation: desenvolver um time de robôs humanóides até o ano de 2050 capaz de derrotar a seleção de humanos campeã do mundo. Nesta categoria times formados por 11 robôs humanóides de 60 cms de altura disputam partidas de futebol em um campo simulado por computador de 20x30 m.


Versão do robô NAO utilizada no simulador da categoria Futebol de Robôs Simulado 3D.

O desafio dos professores Josemar Souza e Marco Simões nesta categoria é fomentar a criação de mais equipes brasileiras e o fortalecimento das equipes existentes. A meta é garantir que em 2014, equipes brasileiras tenham condições de disputar o título mundial em João Pessoa, colocando o Brasil entre as potências do futebol de robôs do mundo.

Em 2012, quatro equipes conseguiram disputar a competição latino-americana. Estratégias para atrair mais equipes e fortalecer as existentes serão elaboradas e postas em prática pelos professores da Uneb.

A categoria RoboCup@Home representa um desafio da Robocup Federation na área de automação doméstica. A proposta é que um robô móvel possa realizar tarefas domésticas sob o comando de voz de um ser humano. A idéia remete a um antigo desenho animado de ficcão científica - os Jetsons - em que um robô-doméstico fazia todo o trabalho doméstico na casa da família.


Exemplo de Robô da RoboCup@Home servindo petiscos a convidados humanos.

Esta categoria ainda não possui qualquer equipe brasileira e o desafio do prof. Josemar com seus colegas de comitê será viabilizar e fomentar a criação de equipes para disputar esta categoria tanto na competição brasileira quanto no mundial.

A categoria Standard Platform League também está alinhada com o desafio de futebol de robôs. Entretanto ao invés de ter robôs simulados por computador, os robôs são humanóides reais. Nesta categoria todos os robôs são idênticos, têm o mesmo modelo e fabricante. São robôs NAO da empresa francesa Aldebaran Robotics. A diferença entre os times que disputam a categoria está na programação dos robôs e sua inteligência artificial.


Robô NAO real utilizado na liga SPL.

Esta categoria também não possui equipes brasileiras. O desafio do prof. Diego será o mesmo do prof. Josemar na @Home: viabilizar e fomentar a criação de equipes e a disputa desta categoria tanto na competição brasileira quanto no mundial.

O ACSO/Uneb tem projetos para iniciar equipes nestas duas últimas categorias em 2013.